Imprensa

11-Jan-2018 10:16
Transporte

Crespo autoriza aumento da tarifa de ônibus

Tarifa do ônibus de Sorocaba será a terceira mais cara do Estado.

Sorocaba passará a ter a terceira tarifa de ônibus municipal mais cara entre 11 das principais cidades do Estado, a partir da quarta-feira, dia 17, quando entrarão em vigor os novos valores. O passe social do transporte coletivo urbano, utilizado pela maioria da população sorocabana, sofrerá reajuste de 2,44% e passará a custar R$ 4,20. O valor é o mesmo praticado em algumas cidades paulistas como Santo André e São Bernardo do Campo, mas está acima dos praticados nos municípios de Ribeirão Preto (R$ 3,95), São Paulo (R$ 4,00), Santos (R$ 4,05), São José dos Campos (R$ 4,10) e Guarulhos (R$ 4,15). 

O decreto que autoriza o aumento foi assinado na última terça-feira pelo prefeito José Crespo (DEM). A justificativa para o reajuste da tarifa, segundo a Prefeitura, é a necessidade de reduzir o subsídio ao transporte, que para o ano de 2018 foi projetado em aproximadamente R$ 68 milhões. Outra explicação são os reflexos da inflação na variação de preços sobre os insumos que incidem no custo do transporte, como pneu e combustível, além da queda acentuada de passageiros no sistema, de acordo com a Prefeitura. 

A medida, no entanto, não foi bem recebida pela população, que criticou a falta de investimentos e melhorias no sistema, e por movimentos estudantis, que prometem protestos nos próximos dias. A repercussão também não foi positiva para o setor industrial, que segundo o diretor regional do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), Erly Domingues de Syllos, está no início de uma retomada lenta de recuperação da economia. "Qualquer aumento, seja de tarifas, impostos ou de insumos, como os recentes e constantes dos combustíveis, por exemplo, de certa forma acabam impactando na somatória de custos para as empresas e indústrias", diz Erly. 

O Cruzeiro do Sul consultou o valor atual da tarifa dos ônibus municipais em 11 das principais cidades do Estado e constatou que cidades maiores, como São Paulo, possuem valores menores que Sorocaba. Já a cidade de Ribeirão Preto, no interior paulista, que é considerada do mesmo porte e de população aproximada, atualmente a tarifa de ônibus municipal na cidade é R$ 3,95. Na comparação com outras cidades do mesmo porte, como São José dos Campos (R$ 4,10), Sorocaba também perde no valor, sendo 10 centavos mais cara. Porém, em outros municípios também considerados semelhantes ao porte de Sorocaba, as tarifas são mais caras ou iguais, como Santo André (R$ 4,20) e Osasco (R$ 4,35). Campinas é a recordista, com R$ 4,70.

Confira as tarifas:

Ribeirão Preto - R$ 3,95

São Paulo - R$ 4,00

Santos - R$ 4,05

São José dos Campos - R$ 4,10

Guarulhos - R$ 4,15

Sorocaba - R$ 4,20 *

Santo André - R$ 4,20

São Bernardo do Campo - R$ 4,20

Osasco - R$ 4,35

Barueri - R$ 4,35

Campinas - R$ 4,70

* (a partir de 17/1)

Protesto marcado 

Um dos maiores impactos no aumento da tarifa do ônibus será para os estudantes, pois o valor passará dos atuais R$ 1,60 para R$ 2,00. Até o momento, pelo menos um ato já está marcado para ocorrer na quarta-feira (17), dia da entrada em vigor do aumento, em frente ao terminal Santo Antonio (entrada lateral), a partir das 17h, promovido pelo Coletivo Enfrente. 

Segundo uma das representantes da União dos Estudantes Secundaristas de Sorocaba (Uses), Sabah Machado Farah, 17 anos, muitos alunos têm seus passes estudantis pagos pelo pais, que também são trabalhadores e que, deste modo, sofrem duplamente com o aumento, pois também terão um desconto maior das empresas descontado do salário por conta do aumento no valor do vale-transporte. 

De acordo com a representante da USES, os movimentos estudantis farão uma reunião hoje, no Centro, para definir alguma estratégia para protestar contra o aumento da tarifa. "Vamos nos reunir e pretendemos definir alguma ação, ato ou manifestação por conta desse abuso do poder público, que não entende o transporte público como um direito do cidadão." 

Sabah lembra ainda que o aumento também afetará a capacidade de locomoção das pessoas aos finais de semana, sobretudo para eventos de cultura em lazer, em virtude da redução do desconto para o valor cobrado pela tarifa aos domingos e feriados, que passará de R$ 2,50 para R$ 4,00. 

Jornal Cruzeiro do Sul
Deixe seu Recado