Imprensa

13-Mar-2020 12:20
Justiça

Acusados da Casa de Papel não podem ir à Prefeitura de Sorocaba

Decisão judicial impede também que deixem o País e mudem de endereço.

Parte dos acusados da Operação da Casa de Papel está proibida de deixar o País, de falar com testemunhas e colaboradores, de mudar de endereço e de frequentar a Prefeitura de Sorocaba. A decisão é do juiz Jayme Walmer de Freitas e foi anunciada nesta segunda-feira (9/3).

Na lista dos atingidos com a medida está o prefeito cassado José Crespo (DEM) e ex-secretários municipais. A operação foi deflagrada em abril de 2019 pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) e Polícia Civil, e investigou possíveis irregularidades em contratos na Prefeitura de Sorocaba.

“Entre as medidas em desfavor dos denunciados estão a necessidade de comparecimento mensal em juízo, com proibição de mudança de endereço sem autorização judicial. Outra determinação é o comparecimento obrigatório a todos os atos processuais, quando regularmente intimados e a proibição de manterem contato com colaboradores e testemunhas”, afirma o magistrado.

Há ainda a proibição de se ausentar do País, devendo os denunciados entregar seu passaporte no prazo de 24 horas, no cartório da Vara onde o processo tramita. “Esta proibição será comunicada a quem de direito”, afirma no texto do despacho.

 

 

Jornal Cruzeiro do Sul
Deixe seu Recado